Ir direto para menu de acessibilidade.
Acesso à informação

A professora de Biologia Ana Carolina Oliveira Duarte foi a vencedora na categoria Ensino Médio, Técnico, Profissionalizante do V Prêmio MEI (Metodologia de Ensino Inovadora) promovido pelo IFMG - Campus Arcos com um projeto desenvolvido em suas turmas dos cursos técnicos integrados do IFMG - Campus Formiga.

O prêmio MEI é uma iniciativa do curso de pós-graduação em Docência do IFMG - Campus Arcos e tem como objetivo reconhecer, divulgar e premiar as melhores iniciativas, na prática da sala de aula, que contribuem para a melhoria do processo ensino aprendizagem.

A professora Ana Carolina afirma que é interessante a utilização de estratégias inovadoras no ensino de biologia e necessário buscar formas alternativas no ensino, principalmente em momentos onde as demonstrações são inviáveis, como aconteceu em decorrência da pandemia, por isso, o trabalho que desenvolveu com os alunos objetivou inserir metodologias ativas para melhorar o entendimento deles acerca de conteúdos de biologia.

Foram obtidos 37 modelos biológicos. Os alunos relataram que gostaram da experiência e acharam uma forma efetiva de se adquirir o conhecimento, principalmente de estruturas microscópicas. Além disso, foi uma alternativa às aulas práticas que não eram permitidas no período da pandemia.

Os alunos escolheram o modelo/material de acordo com o conteúdo de biologia que tivessem interesse e a maioria realizou a atividade em dupla ou trio. Os materiais escolhidos na confecção variaram de acordo com o modelo biológico escolhido, a facilidade de manuseio dos produtos e aptidão dos estudantes, por exemplo, grande parte dos alunos optou por construir modelos de massa de modelar ou isopor, já parte dos alunos do curso de Informática usaram o meio digital, com softwares, na produção.

A professora Ana Carolina conta que sempre utiliza essa estratégia como metodologia ativa nas disciplinas que ministra, porém, neste contexto, a produção teve um viés diferente. “Muitas estruturas na biologia são "invisíveis" e modelos biológicos auxiliam na construção do conhecimento, bem como melhor entendimento do conteúdo. Mesmo antes da pandemia já utilizava essa metodologia, mas neste período, a atividade foi ainda mais importante em virtude da impossibilidade de aulas práticas, demonstrações e visitas de campo e laboratório. E diria que foi quase terapêutica ou motivacional, pois os alunos já se mostravam desinteressados pelo formato de aula remota”.

A professora sugeriu aos estudantes que produziram modelos físicos, do tipo maquete, que os doassem para escolas próximas para que sirvam ao aprendizado de outros alunos.

A Diretoria de Ensino parabeniza a professora Ana Carolina Oliveira Duarte e os alunos envolvidos no projeto, pela conquista e pelo brilhante resultado do trabalho em sala de aula.

Acesse o resumo do projeto

Confira algumas imagens das apresentações:

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 
Para o topo.