Ir direto para menu de acessibilidade.
Acesso à informação

A professora do Campus Formiga, Danielli Ferreira Silva, participou do VI Fórum Nacional de Licenciaturas em Matemática (VI FNLM), organizado pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM), onde apresentou o trabalho “A prática como componente curricular nas pesquisas sobre formação de professores de Matemática”.

O evento foi realizado na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) em Campo Grande, no período de 22 a 24 de junho de 2017. Com o tema “Adaptar ou transformar? Adequação às novas diretrizes curriculares para a formação inicial dos professores que ensinam matemática”, o evento procurou avaliar e debater, na comunidade acadêmica, as políticas de implementação dos cursos de Licenciatura em Matemática decorrentes das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada” (Resolução CNE/CP nº 2/2015, aprovado em 1 de julho de 2015).

O trabalho apresentado pela professora durante o Fórum traz resultados parciais da sua pesquisa de doutorado em Educação, desenvolvida na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e buscou analisar o entendimento do conceito de “prática como componente curricular” a partir da legislação brasileira e de pesquisas sobre formação inicial de professores de Matemática. Segundo a pesquisadora, “concluiu-se que a introdução deste componente curricular não modificou o modelo de formação que toma como base o estudo do conhecimento específico, que vem somado a outros fragmentos de conhecimentos pedagógicos e práticos. Assim, sua(s) forma(s) de entendimento e implantação parece ter sido vista mais como uma simples exigência de mudanças curriculares no que se refere às disciplinas, do que uma sólida discussão sobre a concepção do perfil profissional. Acredita-se que ainda prevalece um projeto de licenciatura sem identidade docente”, relata.

A docente (destacada na foto ao lado) também participou do grupo de discussão sobre a matriz curricular e a organização da prática como componente curricular: quadro atual e perspectivas a partir da Resolução 02/2015. Também discutiram o tema, participantes de Instituições de Ensino Superior de todas as regiões do país para a socialização das discussões ocorridas nos fóruns regionais dos últimos dois anos, com o objetivo de construir o relatório nacional com a síntese das discussões, enfatizando as construções das matrizes curriculares, as dificuldades de implementação, alternativas e propostas de encaminhamento à SBEM.

Danielli falou sobre a importância do tema do evento e sua participação. “Já se passaram 15 anos desde a exigência legal que impôs a reestruturação curricular dos cursos de licenciatura e ainda se mostra ser uma questão polêmica, com diferentes compreensões e entendimentos, por isso a investigação sobre esta temática se torna pertinente neste momento. Participar do Fórum Nacional tendo a oportunidade de conhecer projetos de cursos de diversas instituições foi enriquecedor para o meu objeto de pesquisa e para a minha prática enquanto formadora de professores no IFMG”.

 



 
Para o topo.