Ir direto para menu de acessibilidade.
Acesso à informação

O projeto Casa Arte OB tem realizado ações com o objetivo de promover entretenimento e, ao mesmo tempo, manter os laços entre os artistas e a população de Ouro Branco. Idealizado por alguns professores do campus, o projeto conta com um canal no Instagram.

 Além de entrevistas, a programação conta com várias apresentações artísticas: música, poesia, dança, monólogo teatral e outras. O projeto também busca divulgar e contribuir com as diversas ações solidárias que acontecem em Ouro Branco para auxiliar pessoas em situação de vulnerabilidade neste momento.

 “A proposta é que possamos reunir artistas com outros artistas e artistas com a sociedade, porque a arte tem essa capacidade de nos alentar diante do que está acontecendo no mundo. Em outros períodos, estamos tão ocupados com a nossa rotina que, às vezes, a gente não perceba essa importância da arte”, defende.

Se você é um artista da região, de qualquer área de atuação, se sua instituição precisa de ajuda ou se você quer contribuir com quem precisa neste momento, entre em contato com o projeto. 

O Casa Arte.OB é coordenado pelos professores Antônio Costa, Rodrigo Teixeira, Carlos Eduardo de Souza e Rafael Marinho e pela convidada Elaine Castro. Confira: @casaarte.ob. 

Concurso de crônicas 

A profa. Alessandra Vieira, do Campus Ipatinga, promoveu o concurso “Crônicas do Cotidiano” com a temática “Isolamento e Patriarcado”. Ao todo, 12 estudantes se inscreveram. O texto vencedor foi a crônica “Pão e Circo”, de autoria da estudante Franciele Zagne, do curso Técnico Integrado em Automação Industrial. Ela ganhou um livro de presente.

Leia Pão e Circo”

Arte e contexto

O projeto de extensão “Encantamentos e poesia” divulga, nas redes sociais, indicações de peças artísticas (canções, poesias, filmes, entre outros) que abordam fatos e contextos históricos em suas próprias linguagens. A proposta surge em um momento no qual as pessoas estão em isolamento social, devido à pandemia de Covid-19.

Nesse sentido, oferecer opções de cultura e arte, que possam ser acessadas sem romper com o isolamento social contribui para a saúde mental das pessoas. Além disso, mantém-se a reflexão histórica de uma forma leve, apesar da suspensão das aulas regulares.

A atividade é coordenada pelos técnicos administrativos, Weslley Moreira Soares, José Marcello Salles Giffoni e Érica Melanie Ribeiro Nunes, sendo os dois últimos historiadores. As dicas artísticas já incluíram filmes como Histórias Cruzadas (2011) e letras de músicas como “O bêbado e o equilibrista”, de Aldir Blanc e João Bosco, imortalizada na voz de Elis Regina já fizeram dos posts. Confira às terças e sextas, à tarde, no @ifmgsabara.

Arte que fala

O “Arte que fala” pretende estimular as pessoas a desenvolverem o pensamento reflexivo por meio da arte durante a pandemia. “Como representação do mundo, oportunidade de reflexão e de expressão, pode ser uma alternativa para aqueles que buscam formas de superar a ansiedade e as dificuldades do isolamento social”, explicam as coordenadoras do projeto,  profas. Mariana Soares e Ranucy Cruz, ambas do Campus Piumhi.

Considerando estas questões, este projeto busca dar voz não apenas aos alunos do IFMGincentivando-os a produzir arte/textos verbais ou não verbais (poesia, prosa, fotografia, vídeo, desenhos, pintura, música e artesanato) ligados ao que pensam e vivenciam diante do cenário em que estão inseridos, mas também aos servidores em geral. Os textos devem ser enviados para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Ao final da pandemia, será feita uma exposição com as artes enviadas.

 



 
Para o topo.